segunda-feira, 19 de maio de 2014

E a sua família, vai bem?

Quando cumprimentados desta forma, algumas pessoas automaticamente respondem com um sonoro sim. Outros dão um sorriso, ainda que torto, na vã tentativa de passar uma impressão de tranquilidade que estão longe de sentir. Há o outro grupo que geralmente muda de assunto rapidamente. Há também aqueles que já aguardam, até com certa ansiedade, que alguma alma caridosa lhe faça essa pergunta para ela ter a oportunidade de compartilhar todas as mazelas que carrega. Sua família é uma cruz tão pesada que qualquer um que passa, mostra-se habilitado para ajudá-lo a aliviar seu sofrimento. 

Será que é assim mesmo? Com quem podemos contar? Quem estará apto a nos orientar em assuntos muitas vezes tão delicados? É prudente expormos as fraquezas de nossos familiares para outrem? Devemos ter redobrada prudência. É a nossa família que está em jogo. Um dos presentes mais especiais da parte do Pai eterno. 

Foi pensando em questões como essa que surgiu o nosso interesse em trabalhar esse tema tão relevante. Compartilharemos, à luz da Palavra de Deus, sobre alguns temas que são de suma importância para a boa estruturação de um lar cristão. As exposições girarão em torno de assuntos relacionados ao casamento, família e filhos. Se você acredita nos ensinos contidos na Palavra de Deus, sinta-se convidado a nos acompanhar nessa marcha em busca de compreendermos um pouco mais sobre qual é o plano do Senhor para nossas famílias. 

Muitas pregações têm sido feitas em nome de Jesus, mas em nada espelham realmente a sua doutrina expressa de forma tão acessível na Bíblia. Os cães têm iludido alguns dos filhos da promessa a corromper o templo do Espírito Santo, a macular as suas vestes com torpezas, a se alimentar da comida dos porcos, permitindo-se cauterizar os seus corações e se afastarem Dele. E por que isso está acontecendo? Porque nos falta o conhecimento da Sua vontade. Não temos mais tempo para examinar as Escrituras e meditarmos nos Seus ensinos. Temos tantas outras coisas “mais importantes”, não é? 

Talvez numa singela tentativa de mostrar que nos preocupamos com a nossa família, guardamos as nossas casas elevando as fileiras de tijolos em nossos muros. Cercamos-nos com cercas elétricas, alarmes, cachorros bravos, segurança particular, mas nada disso adiantará se o Senhor não edificar esse lar. Em vão vigiará a sentinela. Os ladrões mais temidos do lar não escalam muros, nem arrombam portas. Eles entram passivamente através de um coração desprotegido do cuidado de Deus. Convide Jesus a fazer parte de sua família.

Não será uma caminhada fácil já que ela é uma jornada para uma vida toda. Mas alegrem-se, nós não estaremos sozinhos. E então, vem com a gente ou não?